4 passos essenciais para começar a ganhar dinheiro na Internet como infoprodutor

Tempo de leitura: 6 minutos

O termo “infoprodutor” ainda é novo no Brasil, porém, um mercado muito fértil para empreendedores digitais e empresários de TI.

Segunda a empresa de marketing online Blueberry, há informações impressionantes sobre como a utilização da internet vem mudando o comportamento de compra dos brasileiros, veja:

  • 71% já realizaram compras depois de abrirem um e-mail marketing;
  • 87% dos brasileiros têm algum tipo de rede social;
  • O faturamento de quem investe em marketing digital cresce 18% anualmente;
  • 15% dos brasileiros usa a rede social para fazer negócios;
  • 33% das mulheres preferem usar a internet a assistir TV;
  • 70% das pessoas usam a internet para se comunicar com uma marca;
  • O brasileiro, pesquisa cerca 3x antes de comprar;
  • 37% dos e-consumidores estão no Rio de Janeiro e em São Paulo;
  • 94% das pessoas compram ou já compraram na internet;
  • 97% das pessoas acessam a internet todos os dias.

Os relacionamento comerciais pela internet se transformaram em uma epidemia.

E pensando em escalabilidades e ganhos exponenciais, o mercado dos infoprodutos chegou com uma mina de ouro que requer garimpeiros fortes e experientes.

Por isso, neste artigo vou mostrar os 4 passos essenciais para você começar a ganhar dinheiro na internet como um infoprodutor.

Passo 1: Decida quem você quer ajudar

Talvez essa seja a etapa mais cansativa, porque exige muito avaliação de si mesmo em relação com outro.

Primeiro você deve perguntar-se: “Qual tipo de público eu conecto mais?”

Se você é uma pessoa apaixonada por astrologia e entende tudo do assunto, você já tem a resposta da pergunta chave.

Depois…

“Quais soluções esse público está buscando?”

Use o Planejador de Palavras Chave do Google para descobrir o que esse público está buscando.

Entenda seus comportamento e busque dar preferência para aquele segmento que mais se encaixa com seus valores e crenças.

Quanto mais parecido você for com seu público, maior será a possibilidade de você obter sucesso como infoprodutor.

Isso é muito importante!

Mas muito calma, não crie sua ideia de produto ainda, por enquanto estamos só analisando o seu público potencial.

Quanto mais refinado ele estiver, mais qualificado ele será.

Agora vamos ao segundo passo…

Passo 2: Qual será o tema do seu produto

Depois que você encontrar o público de maior semelhança, é hora de decidir o tema da sua solução.

Busque entender como o seu produto poderia encaixar-se na vida do seu cliente. Como ele irá usá-lo? Qual o melhor formato?

É importante que você crie algo que preencha a necessidade do seu público específico.

Mas é impossível que você seja capaz de adivinhar psiquicamente que tipo de produto seus clientes desejam.

Por isso, não tenha vergonha de perguntar!

Como Ryan Levesque menciona em seu livro, Pergunte, ninguém quer perguntar direto às pessoas: “Hey, com o que você precisa de ajuda?”

É como perguntar aos seus amigos onde eles querem ir jantar. “Uhh, eu não sei. E você?”

A verdade é que a maioria das pessoas não sabem o que querem, mas sabem o que não querem.

Então crie uma pesquisa perguntando qual é o maior desafio delas em relação ao assunto que você quer resolver.

Por exemplo, “Qual é o maior desafio que você está enfrentando em relação à astrologia?”

Depois de receber suas respostas, você pode ver quais respostas surgem repetidas vezes.

Pronto, este será seu ponto ideal, onde as pessoas mais precisam de você!

Mas lembre-se que você deve ser capaz de produzir a solução que seu público precisa.

Não atreva-se fazer o que não sabe!

Passo 3: Qual formato você deve criar seu produto

Depois que você descobriu quem você quer ajudar e o tipo de problema que consegue resolver, vem o momento de decidir qual será o formato da sua solução.

Você deve estar pensando que nem exista tantas formas assim de infoproduto, mas sim, existem muitas.

Por exemplo:

  • E-books (livros digitais)

Livro digital que pode ser baixado e reproduzido em qualquer dispositivo multimídia, como celular, computador, televisão e outros aparelhos eletrônicos.

  • E-cursos (cursos online)

Curso online que pode ser assistido e qualquer aparelho eletrônico com conexão de internet. Normalmente são entregues em um portal e o aluno deve ter login e senha para acessar.

  • Pastas de trabalho (modelos de documentos ou arquivos específicos)

Planilhas comerciais, cartas, contratos e qualquer tipo de conteúdo que requer experiência de um profissional para ser desenvolvido. Pode ser vendido como pacote junto à outros arquivos, ou por unidade.

  • Série de vídeos (aulas, tutoriais e produções cinematográficas)

Filmes, séries cinematográfica, tutoriais ou qualquer tipo de grupo de vídeos de qualquer assunto possível. Geralmente é vendida como gravações de palestras, congressos ou oficinas.

  • Série de áudio (programas, aulas e músicas)

Produções musicais, programas, processos de mentoria ou qualquer tipo de áudio que seja de interesse público. Programas de podcasts são os mais comercializados.

  • Cursos por e-mail (aulas em forma de artigos)

Textos educacionais ou artigos acadêmicos são formas de cursos que também podem ser entregues via e-mail ou qualquer outro método de comunicação online. São pouco usados, porém uma opção mais versátil.

  • Sites de adesão (portais exclusivos pagos por assinaturas)

Acesso à ferramentas ou conteúdos específicos que são cobradas por assinaturas recorrentes. O que pode ser uma opção muito escalável e altamente lucrativa.

  • Portal de notícias ou informações (portais públicos gratuitos)

Sites, blogs e portais de comunicação que geram conteúdo gratuito mas vendem espaços publicitário para gerar receita mensal por meio de impressões, cliques ou aquisições de produtos.

Pronto, esses são alguns formatos comuns de infoprodutos e que podem ser usados para criar negócios de qualquer tipo de assunto, dos mais simples aos mais complexos.

E ae, já sabe qual o melhor formato para a sua solução? Então continue lendo e descubra como vender…

Passo 4 – Como vender o seu infoproduto?

Pronto, agora você já sabe quem é o seu cliente, já tem a solução e já escolheu o formato que vai entregar.

“Mas como vender o meu infoproduto?”

Existem 2 formas de vender:

  1. a vitalícia
  2. e a recorrente

A venda vitalícia é aquele que o seu cliente paga uma vez e tem o produto para sempre.

Esse caso é aplicado para produtos que não exigem atualizações ou reparos temporais.

Já a venda recorrente acontece para portais de acesso ou produtos que são melhorados e atualizados com o tempo.

A venda recorrente exige pagamentos mensais ou anuais, o que pode ser muito lucrativo e mais difícil de converter.

Agora coloque a mão na massa!

O que você achou deste artigo? Curtiu?

Então escreva um comentário e compartilhe com seus amigos.

Ajude o ONLINE RENDA a transformar o Brasil em um país de empreendedores digitais de sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *